Fundamentação religiosa na História dos Malês

Lisiane Santos

Metodologia

A abordagem  trata da historia social em que em que engloba categorias visando o estudo do passado de uma forma ideológica  em que a um processo de transformação  da sociedade , das relações existentes nela  da forma em que se organiza e do sistema que diferencia a desigualdade, abordando também o sistema de exclusão .

( segregação religiosa).

Palavras chaves:

Religiosidade, Islamismo, Escravidão .

Introdução

A Bahia do século XIX foi um cenário cheio de inquietação da população  escrava a rivalidade entre senhores e escravos pautava , desejo de liberdade.

Em busca da tão sonhada liberdade os escravos  se organização  através das festas , danças , lutas, dos quilombos , desempenharam serviço domestico  e faziam serviços nas ruas da cidade ( escravos de ganho) , alguns ate mesmo se suicidavam para não ser condenado a escravidão do senhor . Foram nessas relações  de tempo livre , que os males alem  de passar o conhecimento da leitura e da escrita para os iniciantes , cozaim seus abadas e teciam seus planos para  derrubar o poder dos brancos.

Diversas foram as formas de resistências escrava nos  século XIX  dentre elas a revolta dos males  em que os escravos  e libertos mulçumanos  lutaram  pelos seus anseios  e limites de uma sociedade  marcada pela exclusão social e racial . Uma revolta marcada por uma rede de complexidades  em que os  negros lutaram contra as autoridades  baianas em plena  cenário político do período regencial .

Apresentação

A rebelião  de 1835 teve uma multiplicidade  de sentidos religiosos , étnicos  e classistas , por meio da idéia  de mobilidade social  e das teias de amizade construídas entre escravos e libertos , alem da facilidade com que os traficantes de escravos  agiam , possibilitou a entrada do guerreiros  experientes , mas também  levou pessoas que freqüentavam escolas onde ensinavam a ler e escrever em  árabe , a recitar as suras de versículos do alcorão e a seguir os ensinamentos  do profeta Maomé.

O islamismo entrou no Brasil por meio de negros africanos trazidos pra serem escravizados, estes por sua vez receberam o nome de male , designação provenientes do ioruba  imalé, logo os malês eram os  seguidores dessa religião  mulçumana , também conhecida por islã .Havia a predominância  de iorubas ou nagôs , vindo da África  ocidental . A escravidão  tinha tirado destes povos o que possuíam  de mais essencial que era a liberdade de expressão . Os escravos para satisfazer  a sociedade a qual era acorrentado ,  inventava praticas externas, por exemplo , externamente eram católicos , mas internamente  eram da religião de Alá .

A religião tornou-se instrumento   de luta e resistência , expondo que a fé também poderia ser utilizada  pelos escravos como meio de libertação .A religião islã  é  de cunho eminente social e político , a simbologia religiosa tende a levar  o ser  a fidelidade de um relacionamento  sociável, logo   também pode ser considerada uma organização política . Os escravos fizeram dessa revolta  um marco da evidencia da organização  e influencia religiosa tanto para os senhores quanto para os escravos, a oração dos males é um clamor por justiça , liberdade e cidadania .

Foi na casa do escravo liberto Manuel Calafate ,numa leitura corânica que a revolta toma tom de realidade, devido ao documento encontrado  no bolso de um dos rebelados que traz a sura da Noite do Decreto,os males estavam prontos para ganhar as ruas da Cidade Alta, porem foram traídos , sendo assim  todos os quartéis  reforçaram a vigilância e a policia ,  passou a invadir as casa , ate chegar na  residência de Manuel Calafate , onde os revoltosos estavam reunidos , como foram surpreendidos , saíram nas ruas armados e atirando.

Na vista da policia, essa foi mais uma revolta negra que tinha ânsia de liberdade , porem mais tarde foram encontrados  depoimentos de sobreviventes e documentos nas roupas dos revoltosos , que apresentariam  a Bahia uma sociedade  mulçumana inserida na sociedade escravista baiana.

Islamismo

Trazidos para serem escravizados no Brasil, os negros trouxeram o islamismo . A escravidão havia tirado deste povo a liberdade de expressão muitos mulçumanos eram extremamente católicos, porem internamente  eram da religião de Alá,logo  a religião tornou-se instrumento de luta e de resistência.

Toda a simbologia religiosa tende a levar pessoa fiel para um relacionamento social mais elevada, buscando assim o bem a  sociedade e seu crescimento , a solidariedade , uma das expressões do islamismo , permitiu que surgisse uma sociedade reconciliadora  onde ninguém deveria impor-se sobre os outros.

A religião muçulmana é monoteísta, ou seja, tem apenas um Deus: Alá. Criada pelo profeta Maomé, a doutrina muçulmana encontra-se no livro sagrado, o Alcorão ou Corão, este por sua vez um livro sagrado que reúne as revelações que o profeta Maomé recebeu do anjo Gabriel. Seus principais ensinamentos são a onipotência de Deus e a necessidade de bondade, generosidade e justiça nas relações entre as pessoas

Conclusão

Em 1835 , os brancos foram incapazes de compreender que a religião dos malês estava ligada  uma estrutura política e social e o fato de o Brasil  nessa época ser um país essencialmente católico , buscou na religiosidade justificativa para tamanha opressão

Os negros  vendo-se  em meio a uma sociedade branca , pressora , voltaram-se ao Islã, a ideologia capaz de unificar o oprimido  nos três planos social , racial e religioso, os negros  tem alma , nação e fundamentalismo , algo que os brancos nem se preocupou em notar , analisar ,os males agiram  sobre o fundamentalismo islâmico, na qual suas orações  islâmicas clamavam  por justiça.

Mesmo com tanta religiosidade  os negros africanos não conseguiram proliferar  o islamismo, porque o candomblé sim  e o islamismo não ?!?!!?

O negro mulçumano sec XIX

Referência

Reis , João Jose. Rebelião Escrava no Brasil . A historia  do levante dos malês em 1835. São Paulo : Companhia  das letras ,2003

5 Comentários

  1. eudesamigo said,

    5 de junho de 2010 às 22:17

    Oi, falta postar seu texto. Clique em editar e escreva seu artigo. Não se esqueça de garantir os aspectos metodológicos essenciais para a formatação de um artigo cientifico.

  2. eudesamigo said,

    22 de junho de 2010 às 20:58

    Veja as orientações dadas pelo professor Alfredo acerca da organização do texto. Embora você tenha feito sua metodologia, falta aperfeiçoar seu contexto, explicar sobre a sociedade da época que você pesquisa. Além disso, é necessário garantir a interatividade em relaçã aos trabelhos de seus colegas. Sugiro que você veja as normas da ABNT em relação aos trabalhos científicos. Trabalhe em cima de sua metodologia. Seu texto está sem desenvolvimento e conclusão.

  3. eudesamigo said,

    28 de junho de 2010 às 6:44

    continua valendo as recomendações anteriores.

  4. isabele1985 said,

    29 de junho de 2010 às 17:15

    ainda falta texto? o prazo acabou!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: